Beatriz Favato

Feel The Rain

"I'm going to do what I want to do. I'm going to be who I really am. And I'm going to figure out what that is." -The Perks of Being a Wallflower

Quando vi Harry Potter pela primeira vez, eu ainda era só uma criança. Eu cresci junto com eles, e de certa forma, vivi cada uma das aventuras. Já tentei fazer feitiços com pedaços de madeira, já tive medo de dementadores, já achei que o gato da vizinha era animago, já dormi acreditando que no meio da noite, um gigante invadiria minha casa, e me diria que eu pertenço ao universo bruxo. Eu já ri, já chorei, já gritei, vibrei, esperei ansiosamente… É uma coisa inexplicável esse amor, porque é algo forte e definitivo, mas é também algo que, se lhe perguntarem, você não saberá definir. Hoje, fazem dois anos que chegou o fim de uma era. Mas eu não quero acreditar que chegou ao fim, porque dentro de mim, isso nunca vai acabar. Eu sei, para muitos, isso é apenas uma história. Mas pra mim, é muito mais do que isso. Harry Potter me tirou do mundo trouxa por dias. Foi meu consolo, minha alegria, meu refúgio. Me deu amigos. Me mostrou que a magia pode ser encontrada nos detalhes mais simples. Me ensinou que são as nossas escolhas, mais do que as nossas capacidades, que mostram quem realmente somos. Me ensinou que o mundo não se divide entre o bem e o mal; todos temos luzes e trevas dentro de nós, e o que nos define, é o lado com o qual escolhemos agir. Me ensinou que aquilo que perdemos, arranja sempre uma maneira de voltar para nós. Que é importante lutar, porque somente assim o mal poderá ser aniquilado. Que nunca devemos confiar em nada capaz de pensar. Que não adianta se entregar aos sonhos e se esquecer de viver. E foi com Harry Potter que eu jurei solenemente não fazer nada de bom. Eu vou sentir falta do passeio de trem, e das brincadeiras pregadas pelos gêmeos. E mesmo que seja onde eu nunca estive, eu vou continuar sorrindo pelo tempo que eu estive com eles. J.K Rowling foi minha infância. Ela me mostrou que com mágica, tudo pode ser melhor. Hermione me mostrou que ser extraordinariamente inteligente não é algo de que você deva se envergonhar. Harry me ensinou que você nunca estará sozinho, por mais que aqueles a quem você ama estejam distantes. Rony me mostrou que você precisa ser corajoso para proteger quem ama. Luna me mostrou que ser você mesmo pode ser bem melhor do que se pensa. Gina me mostrou que uma mulher não é o sexo frágil. Neville me ensinou que ser amigo é uma tarefa difícil, e muitas vezes, é preciso enfrentar a eles, mais do que a seus inimigos. Draco me mostrou que nunca é tarde para se arrepender. Snape me mostrou que o amor pode nos tornar herói ou vilão. Voldemort me mostrou que sem o tal do amor, nada somos. Dumbledore me mostrou que a sabedoria é um dos maiores tesouros do ser humano. E a cada novo capitulo devorado, mais uma lição era aprendida. Harry Potter está mais presente em minha vida do que se pode imaginar. E sempre estará. Uma vez potterhead, sempre potterhead. Obrigado J.K, por me fazer acreditar na magia, mesmo vivendo nesse mundo louco de trouxas. Obrigada por cada um de vocês, que fizeram parte do elenco, e nos mostraram com tanta paixão um pouco deste mundo. Obrigada ao fandom, por ter continuado com esse amor louco até aqui. Obrigada a você, que leu esse texto até aqui. E obrigada ao bruxinho Potter. Não, espera. O senhor se enganou. Sabe, eu não posso ser um, um bruxo. Eu, sou o Harry, só Harry.
— Érika. (via potter-facts)
potter-facts:

morte de*

potter-facts:

morte de*

potter-facts:

Parabéns, menino-que-sobreviveu, e Rainha ♥

potter-facts:

Parabéns, menino-que-sobreviveu, e Rainha ♥

É difícil ficar longe de tudo aquilo que amamos. Não é só um livro. Não é só uma história. Não é só uma autora. Não são só personagens. É parte de mim. O fim de uma era? Acho que não, me parece mais o começo de uma eternidade. 3 anos que oficializou-se o fim de Harry Potter, aquela história que começou encantando crianças e terminou emocionando adolescentes e adultos. Um apego que vai continuar pra sempre no coração de quem já leu, pois não é qualquer livro que te faz viajar para outra dimensão, onde além de um fluxo de ruivos, tem uma nerd bonitona e uma lunática que não precisa de baseados para ver coisas. Parecendo ou não clichê, a verdade é que sim, com mais de 40 anos, pegarei o primeiro livro e vou reler toda a história, vou apresentar para os meus netos e se eles não gostarem, não tem problema, é pra isso que servem os feitiços de hipnose. Apesar da cicatriz não estar mais doendo, Harry vai continuar famoso, vai continuar conquistando milhões a cada dia, com cada fala do filme sendo repetida pelos fãs de forma abobada sempre que são ditas. A cada vez que um livro for reaberto. A cada vez que um filme for revisto. A cada dia lágrima. De saudade. De amor. De orgulho. Orgulho de ser potterhead, e de fazer parte dessa legião de fãs, que a cada dia só aumenta. Já dizia Sirius Black, aqueles que os amam nunca os deixam de verdade, e eu juro solenemente, nunca deixarei Harry Potter.

Não sou perfeito, mas estou aqui, não estou? Olhe a sua volta… eu fiquei.
Allax Garcia.  (via autorias)

Não ia postar não, mas… Hahahaha (em Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB))

Quero ter alguém com quem conversar. Alguém que, depois, não use o que eu disse contra mim.
Legião Urbana (via trecho-de-musica)